terça-feira, 7 de junho de 2011

Resumo-Dialeto Gaúcho

Jornal da Record Edição do dia 30/06/2010

O dialeto gaúcho é um dialeto do português falado no Rio Grande do Sul, e em parte do Paraná e de Santa Catarina.
Do convívio entre os imigrantes espanhóis e portugueses com os índios surgiram misturas raciais originando a “raça gaúcha” e o surgimento involuntário de uma cultura completa que era compartilhada pelos povos.
Em constante conflito com os “castelhanos” e com os portugueses (então colonizadores do Brasil), os gaúchos continuavam ignorando os limites políticos entre os territórios, mas criavam seu próprio “isolamento cultural”.
Apresentando diferenças lexicas e semânticas em relação ao português padrão - o que pode causar, dificuldade de compreensão do diálogo informal entre gaúchos por parte de pessoas de outras regiões brasileiras, muito embora eles se façam entender quando falam com brasileiros de outras regiões.

Algumas interjeições típicas dos gaúchos:
  • Bah! = Nossa! - é primariamente, uma interjeição de espanto, mas pode ter outros usos, como, por exemplo, mostrar hesitação ao iniciar uma frase.
  • Capaz? = É mesmo?, Imagina! - indica espanto e dúvida ao mesmo tempo quanto ao que a pessoa acabou de ouvir.
  • Tri! = Que legal!

A formação do dialeto se dá por:
  1. vocábulos hispano-luso-indígenas.
  2. aumentativos e diminutivos hispânicos.
  3. escrita lusitana.
  4. pronúncia baseada no português, mas lida como no Espanhol.
  5. falta de uma gramática oficial, mantendo o dialeto constantemente mutante e flexível.
  6. A pronúncia do “o” e do “e” são feitas como no Espanhol quando se alterariam para “u” e “i” no Português.
  7. O diminutivo “inho” quase sempre e substituído por “ito”, mas há casos onde sobrevive.
  8. O pronome “lhe”, quase sempre é pronunciado “le”.
  9. Há uma grande dificuldade entre os nativos para saberem quando pronunciar “b” ou “v”, pois flutuam entre a gramática portuguesa e espanhola.
  10. As palavras que têm dupla escrita de “x” ou “ch” têm no “ch” sua escrita castelhana e “x” lusitana (galega).  

Algumas expressões típicas da gauchada:
  • Abichornado – crioulo – acovardado, apequenado.
  • Afeitar – espanhol – fazer a barba
  • Bagual – crioulo – cavalo que não foi castrado; homem.
  • Balaquear – crioulo – gabar-se, mentir, conversar fiado; vanguardar-se.
  • Barbaridade – português – barbarismo. Tanto adjetiva como pode ser uma interjeição de espanto.
  • Bate-coxa – português – baile, dança.
  • Engasga-gato – português – ensopado feito com pedaços de charque da manta da barrigueira.
  • Gaúcho – origem desconhecida – termo, inicialmente, utilizado de forma pejorativa para descrever a cruza ibero-indígena, hoje é o gentílico de quem nasce no estado do Rio Grande do Sul.
  • Gauchada – crioulo – grande número de gaúchos; façanha típica de gaúcho, cometimento, muito arriscado, proeza no serviço campeiro, ação nobre, impressionante.
  • Gaudério – espanhol platino – vagabundo, desocupado, nômade. Atualmente, é uma referência estadual ao povo da campanha, simplesmente, como gaúcho.
  • Guri – tupi – criança, menino; serviçais que faziam trabalho leve nas estâncias.
  • Haragano – espanhol – Nômade, renitente; cavalo que dificilmente se deixa agarrar.
  • Japiraca – tupi – mulher de temperamento irascível, insuportável.
  • Macanudo – indicado como sendo espanhol platino – bom, superior, poderoso, forte, inteligente, belo rico, respeitável; um adjetivo positivo de uso genérico.
  • Tchê – provavelmente espanhol – termo vocativo pelo qual se tratam os gaúchos. É o mesmo “che” (‘txê’) do espanhol, que se consagrou com Ernesto Guevara, o “Che”.
  
Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=GXpPo5bQ6Qc
Dicionário de Regionalismos do Rio Grande do Sul, de Zeno e Rui Cardoso Nunes, editado por Martins Livreiro.
Vocabulário Pampeano - Pátria, Fogões e Legendas - Martins Livreiro Editor, 1987.

Postado por: Laís Aline.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Laís, o material postado por vocês é de encher os olhos. Há um fio condutor nas postagens que fica claro mesmo para que nunca ouviu falar de Sociolinguística.
    Estou achando tudo muito bem conduzido pela equipe.
    abrs,
    Aluiza

    ResponderExcluir
  3. É curiosa a existencia deste dialeto, mescla do espanhol do seculo XVI com portugues e elementos indios e africanos.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Sou paulista e acabei de voltar de uma viagem à Serra Gaúcha (lugar maravilhoso). Lembro de ter estranhado o uso de "Capaz" no lugar de "Imagina" - este segundo tão usado aqui em SP. Inclusive, eu tinha me esquecido da expressão e fiz inúmeras buscas por "gauchês" até encontrar o "capaz" aqui em sua página. Obrigada!
    Outra coisa que estranhei foi perguntar o preço de alguma coisa e ouvir: "É setenta e nove COM cinquenta". Eu simplesmente não entendi qual era o preço! Até entender que ela quis dizer R$79,50 :) Adoro regionalidades!

    ResponderExcluir